Dessa vez o assunto é TEQUILA por Gunter Safert

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page

Muita gente já pensa, de cara, nos porres homéricos da juventude, virando tequila vagabunda com limãozinho e sal. Que fama ingrata. Uma boa tequila merece muito mais do que isso.tequila_bott1

E o que é uma boa tequila?  Procure uma 100% AGAVE. Se não tiver isso escrito em seu rótulo, é uma tequila ‘mixta’, ou seja, uma tequila composta de 51% agave e 49% QUALQUER COISA.

Há três tipos. A BLANCO, não envelhecida, que fica até doismeses em um barril. A REPOSADO, que fica de dois meses a um ano e a AÑEJO, que fica de 1 a 3 anos. Tem também a Extra Añejo, que fica mais de 3 anos. Assim como a cachaça e o rum, é uma bebida de clima mais quente… portanto, para serem envelhecidas, precisam de muito menos tempo de barril que um scotch, por exemplo. E a ORO? Fuja dessa. Geralmente é uma ‘mixta’ maldita com um caramelinho pra parecer mais velha e ter um preço mais salgado. Geralmente, vem acompanhada de um sorvete na testa com a palavra OTÁRIO escrita.

Jimador é o responsável pela colheita manual da Agave, matéria prima da tequila

Jimador é o responsável pela colheita manual da Agave, matéria prima da tequila

Uma boa tequila é uma bebida complexa, produzida numa pequena província do México, chamada Jalisco. A nossa oferta de boas tequilas é realmente muito pobre. Morando nestes GROTÕES do planeta Terra, não temos El Tesoro, Siete Leguas, Maestro Dobel, Casa Noble e Casa Dragones. Todas incríveis, que tive oportunidade de experimentar nas minhas andanças. Nem a Casamigos do George Clooney chega por aqui.

Vamos falar das marcas q vc encontra nesse BrasilZÃO do Temer. De longe, a minha favorita é a Herradura. É uma tequila muito sólida, com a melhor relação custo benefício. A Añejo é ótima pura. A Reposado brilha em drinks. A mesma destilaria produz a El Jimador, uma tequila simples, de pouca profundidade, mas que funciona muito bem em cocktails. É tudo o que a Jose Cuervo deveria ser, mas não é. E detalhe: a El Jimador é mais barata que a Jose Cuervo! E vários bares servem suas “margaritinhas” com a Jose Cuervo Mixta. Inaceitável.

Sobre a Jose Cuervo: fuja das ‘mixtas’. Em compensação, as 100% agave deles são boas, como a Tradicional. Às vezes, caras demais. Eles também produzem a 1800. Uma tequila 100% agave bem boa, mas com um preço salgado. As garrafas são lindas… a bebida, em matéria de qualidade, está pau a pau com a Patron. Essa, por sua vez, tem um preço ainda mais cruel… mas não se compara com a Don Julio, que é estupidamente cara, apesar de estupidamente boa. Como Jason Wilson aponta em seu livro Boozehound, a Patron é uma tequila muito importante. Numa época em que só se tomava tequila porcaria, foram eles, com seu marketing, nos anos 80, que esclareceram ao mundo a importância de uma tequila decente, feita apenas de agave. Outra tequila de bom custo benefício que tem bom desempenho em cocktails é a Espolòn.

Mas o meu review é simples. Se vc quiser se aprofundar… um site que eu gosto é o DrinkHacker. Acredito que pra fazer um review verdadeiro e confiável sobre essas bebidas é preciso ter repertório. E isso os caras tem. E pelo que experimentei, foram os reviews que mais bateram com o que eu achava.

A seguir alguns drinks que eu amo, com tequila. Começarei pelos mais fáceis…

• MARGARITA

Impossível não falar desse, né? É histórico. Mil teorias de como surgiu e que nunca ninguém vai saber

50ml de tequila blanco
30ml de Cointreau ou Triple Sec
20ml de suco de limão tahiti

Bata todos e coe na taça. De garnish vc coloca uma rodelinha de limão presa na borda. O anel de sal na borda é opcional. Se vc prefere assim, moa sal grosso, kosher ou flor de sal num pratinho. Molhe o lado de fora da borda com limão e pressione a taça sobre o sal. É bom não fazer imediatamente antes de servir o drink, deixando a borda secar e ficar mais firme. PS: não use sal refinado.

• TOMMY’S MARGARITA

Essa variação da Margarita foi criada em São Francisco, nos anos 90. Diferente da Margarita normal, não vai triple-sec… e sim xarope de agave. Pra preparar o xarope de agave, dilua duas partes de néctar de agave pra uma de água quente (não precisa estar fervendo – NÃO É UMA REDUÇÃO).

60ml de tequila blanco
30ml de suco de limão tahiti
15ml de xarope de agave

Bata todos e coe num copo baixo com gelo. De garnish, a tal rodela de limão. Não precisa mesmo se preocupar com a borda de sal.

• ROSITA

Esse é para os que gostam de Negroni.

45ml de tequila reposado
15ml de vermute doce (rosso)
15ml de vermute seco
15ml de Campari
1 dash de Angostura

Mexa num copo mixer por 20 a 30 segundos. Coe e sirva num copo baixo, com gelo, com uma casca de limão siciliano.

• RESTRAINING ORDER

Li sobre este drink no próprio livro do Jason Wilson, um dos meus escritores favoritos. Ele, inclusive, é o criador do brilhante Cin Cyn, parente do Negroni que servi no Batida. É um dos melhores exemplos de uso interessante (e menos óbvio) do Aperol. A pegadinha é conseguir o ‘celery’ bitter, de salsão.

45ml de tequila reposado
22ml de Aperol
3 dashes de celery bitter

Mexa num copo mixer por 20 a 30 segundos. Coe e sirva num copo baixo, com gelo, com uma casca de laranja bahia de garnish.

• SAN MIGUEL

É uma espécie de Tequila Old Fashioned, criado pelo Jim Meehan, do PDT, bar antológico de NY.

60ml de tequila blanco
5ml de xarope de agave
1 a 2 dashes de bitter de salsão (celery bitter)

Mexa num copo mixer por 20 a 30 segundos. Coe e sirva num copo baixo, com gelo, com uma casca de TORANJA (grapefruit) de garnish. A receita original fala 2 dashes do bitter. Acho que um já é de bom tamanho.

• NEW YORK MINUTE

Putaquepariu, como eu amo este drink. Vi a primeira vez sobre este drink no site do Simon Difford. Criado na Austrália e adaptado em Kopenhagen, é um drink adorável e complexo. Concordo com o Rodolfo Bob que drinks com garnish boiando geralmente é algo irritante… mas nesse caso, pqp como é BOM. Explico a seguir.

50ml de tequila reposado
20ml de vermute rosso
15ml de licor maraschino
1 dash de whiskey barrel aged bitters

Mexa num copo mixer por 20 a 30 segundos. Coe e sirva numa taça. De garnish, borrife os óleos de uma casca de laranja bahia e de limão siciliano sobre o drink e descarte-as. Daí, vc pega 3 grãos de café e coloca sobre o drink. Juro. É surpreendente. Estou sem o bitter indicado, então pingo algumas gotas do bitter do Laércio Zulu e algumas do meu bitter Xocolatl Mole, de chocolate. Funciona muito bem.

OBS: A tequila, curiosamente, funciona muito bem com bitters de salsão e de lavanda (boa sorte em consegui-los). Grapefruit tb combina muito com os destilados de agave.

OBS 2: Esse texto foi escrito em português. Uma língua distinta do castelhano. Enquanto que em espanhol o correto é escrever EL TEQUILA… em português, essa palavra é de gênero feminino. Constituindo assim num erro chamá-la pelo masculino. Outros exemplos de troca de gênero: el árbole, el aterrizaje, el viaje, el puente, el color y la sangre.

.

Günter Sarfert é roteirista e diretor de cinema e tem como uma de suas paixões o universo etílico. Enquanto prepara seu canal de cocktails no YouTube, traz para a Batida na Escadaria dois de seus drinks favoritos, celebrando uma das bebidas mais tradicionais e queridas nos botecos brasileiros: o Cynar, aperitivo amargo que é da mesma família de bebidas do Campari e tem a alcachofra como um de seus ingredientes principai
Günter Sarfert é roteirista e diretor de cinema e tem como uma de suas paixões o universo etílico. Enquanto prepara seu canal de cocktails no YouTube, prepara e escreve bons drinks e textos
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>